Israel recupera companhia aérea, EL AL, perto da rotura devido à COVID-19 – Notícias de Israel

דסקטופ

מובייל

Israel recupera companhia aérea, EL AL, perto da rotura devido à COVID-19

 

            Devido à crise trazida pela COVID-19, Israel recuperará a sua principal companhia aérea, EL AL, que está perto da falência com bastantes perdas económicas.

            O Estado irá garantir 75% do empréstimo de 250 milhões de dólares, garantindo a sua estabilidade imediatamente. Comprará ações da companhia aérea pelo valor de 150 milhões, caso esta não as venda na bolsa de valores, declarou um porta-voz da EL AL.

            Se estas condições forem cumpridas, o Estado passará a controlar 61% da companhia e tornar-se-á o seu principal acionista. Isto significa que a nacionalização da empresa, que estava nas mãos do Estado após a privatização, em 2004.

            Porém o plano parece ser apenas um abanão que procura reduzir a dívida líquida da companhia, de mais de 2.000 milhões de dólares. O objetivo, segundo vários meios, é devolver a viabilidade, para que, posteriormente, possa ser adquirida por um investidor privado.

            A 7 de julho, o Concelho de Administração aceitou as condições impostas pelo Estado, porém está suspenso por um Acordo final pendente da assinatura e de diversos requisitos, que ainda não estão acordados.

            Entre eles, o Governo pede uma racionalização de custos e uma redução de trabalhadores na ordem dos 33%, o que pode significar uma demissão de 2000 funcionários, que está ainda a ser negociada com os Sindicatos.

            A pandemia fez com que a empresa já tivesse de reduzir, temporariamente, alguns dos seus trabalhadores. Atualmente, 95% estão sem trabalho e com licença não remunerada, segundo o jornal económico, Globes.

            A crise da COVID-19 reduziu o tráfego aéreo mundial e afetou economicamente a EL AL.

            O número de voos diminui drasticamente. No primeiro trimestre de 2020, registou perdas de 140 milhões de dólares. Segundo o jornal, Times of Israel, soma-se ainda cerca de 350 milhões, que têm de devolver aos passageiros, cujos voos foram cancelados.

            Recentemente, devido a um conflito laboral por parte dos funcionários que não têm trabalhado, a companhia parou por completo a sua atividade e cancelou todos os voos comerciais até ao final do mês de julho.  

            O coronavírus suspendeu, quase na totalidade, o tráfego aéreo de Israel, principal via de entrada e saída do país.

            Desta forma não é permitido, ainda, o acesso de estrangeiros, que não possuam autorização de residência, resultando numa diminuição de turistas e afetando as principais companhias aéreas.

            O setor aéreo israelita está a “dias de chegar a um ponto sem retorno”, salientou Shmuel Zakay, Diretor Geral dos Aeroporto Bem Gúrion, em Telavive.

            Segundo as declarações, se a situação não muda, o setor sofrerá um “enorme dano estratégico”, que se arrastará a longo prazo.

אוהבים את פורטוגל ? שתפו בקליק

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

מאמרים נוספים

רוצים אזרחות פורטוגלית?

איזי נשיונליטי בגוגל

רוצים לדבר עם המומחים שלנו ?

השאירו פרטים ונחזור אליכם

Skip to content